Notícia
- Atualizado em 17/09/2020

Primeiro webinar da série RM VALE TI Talks abordou o uso de cobots

Primeira parte da trilha de conhecimento mostrou com exemplos práticos como a robótica colaborativa pode trazer competitividade para as empresas

Primeiro webinar da série RM VALE TI Talks abordou o uso de cobots Créditos: divulgação

A 7ª RM VALE TI - Feira e Congresso de Tecnologia e Inovação, realizada pelo Parque Tecnológico São José dos Campos, ocorrerá entre os dias 20 e 23 de outubro, de forma totalmente online.

Neste ano, o tema escolhido é Tecnologias Autônomas. Sabe-se que todas as empresas buscam uma forma nova de interagir com a produção e os clientes, que seja mais inteligente e contribua para manter a energia focada no que é realmente necessário e para dar soluções customizadas a cada demanda.

Para que o púbico possa ir se preparando, foi lançado a RM VALE TI Talks, uma trilha de conhecimento planejada para trazer as tendências mais relevantes nas áreas de agronegócio, cidades inteligentes, indústria 4.0 e varejo.

O primeiro tema, COBOTS - Robôs Colaborativos na Produtividade, foi abordado no dia 10 de setembro. Thiago Ponte (cofundador da panda3) mediou a conversa com Gustavo Tozzo (gerente de desenvolvimento de negócios da Universal Robots) e Sergio Salimbeni (fundador da Activus). Os profissionais falaram sobre como o relacionamento entre humanos e robôs tem alavancado a competitividade das empresas na 4ª Revolução Industrial. Assista a gravação deste webinar: bit.ly/rmvaletitalks-cobots

 

Robô Colaborativo é um robô industrial com funções de segurança que permitem a interação com o homem. Além disto é uma ferramenta que oferece linhas flexíveis, operações compactas e agilidade na aplicação.

 

Após contextualização sobre a indústria 4.0, os palestrantes compartilharam direcionamentos práticos com passos e estratégias para que as empresas possam aproveitar as vantagens oferecidas pelos robôs colaborativos.

Um dos aspectos importantes levantados por Salimbeni, foi que a decisão de implementar um robô colaborativo na linha de produção deve ser baseada em estudos. Sugeriu analisar os pontos:

  • Avaliação de qualidade do processo e do produto;
  • Avaliação econômica;
  • Avaliação ergonômica;
  • Avaliação legal e regulatória;
  • Avaliação técnica.

 

Foram destacadas também as vantagens para a indústria com a adoção dos cobots, entre elas a capacidade de rastrear a operação: “o robô é um gerenciador de tarefas, qualquer operação realizada por ele possui protocolos de comunicação integrados. Desta maneira é possível ter acesso ao número de ações, sejam ciclos ou pick and places”, afirma Tozzo.

 

Participe dos próximos RM VALE TI Talks

Faça a sua inscrição gratuita:

  • 17 de setembro: Os Impactos das Tecnologias Autônomas na Sociedade e nos Negócios
  • 22 de setembro: Cidades Conectadas, a Revolução da Comunicação
  • 24 de setembro: Automação no Campo
  • 1º de outubro: Gêmeos Digitais, Modelos Eficientes e Competitivos
  • 8 de outubro: Tecnologias Autônomas no Varejo e Meios de Pagamento
  • 15 de outubro: Mobilidade do Futuro, Quebrando Paradigmas

Newsletter

Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos
Parque Tecnológico - São José dos Campos
Contato

Avenida Doutor Altino Bondesan,
500 - Distrito de Eugênio de Melo
CEP: 12247-016
São José dos Campos - SP - Brasil
+55 (12) 3878-9500

Siga-nos